Estudar na França

França

 

A França metropolitana está localizada na Europa Ocidental, banhada pelo Oceano Atlântico a oeste e pelo Mar Mediterrâneo ao sul. Ela está localizada entre o Reino Unido e Bélgica ao norte, a Alemanha, ao leste e ao sudeste da Itália e da Espanha ao sudoeste. Além do continente, o território da França tem muitos "territórios ultramarinos", localizados do lado de fora do continente europeu (na América do Sul, Caribe, Oceano Índico). A França é um Estado unitário dividido em 27 regiões administrativas com poderes limitados. A área do território francês é de 643.801 km² (551.500 km² para a França metropolitana), e que o país conta com 65,9 milhões de habitantes. Com 10,4 milhões de habitantes, Paris é a capital e a cidade mais populosa da França.

Na França, os invernos são geralmente frios e verões suaves (temperatura média em janeiro: 3 ° C em julho: 20 ° C), exceto na costa do Mediterrâneo, onde os invernos são amenos e verões quentes (temperatura média em janeiro 8 ° C em Julho: 25 ° C). Períodos curtos de grande frio (-10 / 15 ° C) são esperados durante o inverno, especialmente no nordeste. O norte e o noroeste do país são bastante ventosos e chuvosos.

Fontes :
https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/geos/fr.html
http://fr.wikipedia.org/wiki/Climat_de_la_France

Apresentação do sistema de ensino superior

Na França, o ensino superior é oferecido por dois tipos de instituições: as universidades abertas a todos (com exceção dos estudos em saúde) e as "Grandes Escolas" que os alunos acessam através de exames de admissão.

As 83 universidades públicas são financiadas e habilitadas pelo Estado, elas oferecem uma educação de qualidade por um preço acessível. As universidades são também locais de pesquisa.

As "grandes escolas" são instituições que selecionam seus alunos, que podem ser públicas ou privadas. O custo é bem maior do que nas universidades (até € 10.000 por ano para alguns). Ao contrário das universidades, as "grandes escolas" são especializadas em uma determinada área : engenharia, gestão, ciência política, arquitetura... etc.

A França aderiu ao processo de Bolonha, os estudos acadêmicos são, portanto, organizado em três ciclos (graduação, mestrado e doutorado).

Fonte : http://www.campusfrance.org

Nome dos diplomas dos níveis universitários

Como na maioria dos países da União Europeia, o ensino superior francês opera no sistema chamado LMD: "Licence – Master – Doctorat" ou seja, Graduação, Mestrado e Doutorado. Este sistema destina-se a facilitar a mobilidade dos estudantes no interior da Europa e no resto do mundo.
Na França, o ensino superior é dividido em três graus universitários sancionados por três diferentes diplomas:

  • a licence (graduação), diploma de primeiro grau universitário, obtido após três anos de estudo;
  • o master (mestrado), diploma de segundo grau universitário, obtido após um ou dois anos de estudo;
  • o doctorat (doutorado), diploma de terceiro grau universitário, obtido após três anos de estudo (no mínimo).

Cada curso concluído está associado a um número de ECTS (Sistema Europeu de Transferência de Créditos ou Système Européen de Transfert de Crédits – European Credits Transfer System). A atribuição de um diploma é baseada na acumulação do número de créditos correspondente:

  • 180 créditos para uma licence (graduação);
  • 120 créditos para um master (mestrado);
  • 180 créditos para o doctorat (doutorado).

Fonte: http://www.campusfrance.org/fr/page/diplomes-et-equivalences

Vida Universitária

Tipos de atividades pedagógicas realizadas nos cursos
No sistema de ensino superior francês, em particular nas universidades, há dois tipos de cursos:

  • As aulas expositivas: um professor expõe a matéria enquanto os alunos a anotam.
  • Os trabalhos práticos (TP) e trabalhos dirigidos (TD): Esses cursos servem para ilustrar as aulas expositivas.

Além das aulas expositivas e dos TD/TP, os estudantes de cursos de formação profissional na universidade (DUT, licences (graduação) e mestrado profissional) geralmente devem realizar estágios ou períodos de atividade em empresas.

O tamanho das classes
O número de alunos por classe depende do tipo de curso: as aulas expositivas são aulas de anfiteatro, que podem acomodar de 100 a 1.000 alunos, enquanto os trabalhos dirigidos (TD) e de trabalhos práticos (TP) são realizados em grupos mais restritos (algumas dezenas de estudantes).

Fonte: http://www.campusfrance.org/fr/page/lorganisation-des-cours

Carga horária
Os créditos ECTS indicam a carga horária de trabalho total necessária para o aluno a atingir os objetivos dos cursos. Os créditos levam em conta as horas de presença na sala de aula, bem como horas de estudo privado, períodos de revisão, de estágio e preparação de uma tese (1 quadrimestre = 25 a 30 créditos = 750 a 900 horas de trabalho por quadrimestre).

O número de horas de presença em sala de aula por semana depende dos setores e das escolas. Um aluno de mestrado pode ter 10 horas por semana em uma universidade enquanto um aluno de uma Grande École pode chegar, por exemplo, a 35 horas por semana.

Fontes:
http://ec.europa.eu/education/lifelong-learning-policy/doc/ects/guide_fr.pdf
http://www.paris-sorbonne.fr/nos-formations/les-parcours...
http://www.google.ca/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source...

Relação professor-aluno
Na França, a relação professor-aluno é bastante formal. Os professores não costumam estar disponíveis fora do horário de aula para responder a perguntas, mas plantões de dúvidas às vezes são organizados em alguns departamentos para receber os alunos.

Calendário

O ano letivo é dividido em dois semestres.
O primeiro semestre começa no início de setembro e termina no final de janeiro.
O segundo semestre começa em fevereiro e termina no final de maio.
Exames são realizados no final de cada semestre (dezembro / janeiro e maio / junho). A sessão de recuperação é organizada ou no mês de junho ou no início de setembro (dependendo da universidade e setore).

Fonte:
http://www.canada.campusfrance.org/fr/faq/quel-est-le-calendrier-universitaire

Avaliação e Validação

Métodos de controle do conhecimento
O ano letivo é dividido em dois semestres. O controle do conhecimento (provas e exames) pode ser feito de duas maneiras:

  • Controle contínuo: várias provas em sala de aula ou trabalho para casa distribuídos ao longo do semestre em cada matéria;
  • Controle Final: um único exame para cada matéria (no final de cada semestre, em dezembro/janeiro e maio/junho todos os exames são agrupados no mesmo período durante alguns dias)

Há também duas sessões de exames: uma sessão normal (controle contínuo ou controle do final) e uma sessão de recuperação (na forma de prova) para os alunos que não conseguiram a média na primeira sessão.

Sistema de avaliação e validação
A avaliação é feita por uma nota de 0 a 20 ao invés de 0 a 10 como no Brasil. A média para uma aprendizagem bem sucedida é 10/20. Mas ao contrário do Brasil, onde apenas as notas máximas são consideradas boas, na França, é muito raro conseguir um 18,19 ou 20. As notas são agrupadas em níveis: 10-11 = justo; 12-13 = suficientemente bom; 14-15 = bom e a partir de 16 = muito bom.

Na universidade, os cursos são agrupados em módulos (grupos coerentes de disciplinas sobre o mesmo tema/área). Alguns são obrigatórios, outros opcionais. Para passar de semestre, o aluno deve obter, pelo menos, 10/20 em cada módulo. Notas abaixo de 10/20 em algumas matérias não são automaticamente eliminatórias uma vez que é a média das notas obtidas em cada módulo que determina a validação ou não do módulo em questão.

Fonte:
http://www.campusfrance.org/fr/page/controle-des-connaissances-validation-des-acquis

Serviços disponíveis no campus

Em algumas universidades de certas cidades da França (Paris, Lyon, Nantes, Rennes, Nancy, Nantes e Estrasburgo), os "guichets uniques" (guichês únicos) são implementados no início das aulas, a fim de facilitar a instalação e integração dos estudantes estrangeiros. Existem organizações e instituições, como a Prefeitura de Polícia, o Fundo de Abonos de Família (CAF - Caisse d'allocations familiales), o Escritório Francês de Imigração e Integração (Office français de l'immigration et de l'intégration), Centro Regional para a obras universitárias e escolares (Centre régional des œuvres universitaires et scolaires), etc., Bem como as equipes de acolhimento que acompanham os alunos em suas diversas fases e necessidades.

Fonte:
http://www.campusfrance.org/fr/page/les-services-daccueil-des-etablissements

Cada universidade dispõe também de seu serviço universitário de medicina preventiva e promoção da saúde para os alunos (Service universitaire de médecine préventive et de promotion de la santé pour les étudiants).

Poucas atividades de cunho social ou esportivo são organizadas no recinto das universidades francesas. Nas "Grandes écoles", no entanto, as associações de estudantes normalmente oferecem todos os tipos de atividades (cultura, viagens, esportes, etc.).

Modalidades de ingresso à universidade

Na França, o ensino superior é oferecido por dois tipos de instituições: as universidades abertas a todos (com exceção dos estudos em saúde) e as "grandes écoles" às quais os alunos acessam através de concursos.

Fontes:
http://www.campusfrance.org/fr/page/les-universites-et-les-pres
http://www.campusfrance.org/fr/page/les-autres-etablissements

Processo de admissão

Os pedidos de bolsas de estudo são primeiramente examinados por duas agências brasileiras de mobilidade acadêmica e científica (CAPES, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior e do CNPq, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).

Uma vez selecionados, os candidatos que desejam estudar na França devem criar um dossier no site Campus France Brasil, onde eles podem preencher um formulário de aplicação nas instituições francesas de interesse entre as participantes do programa.

Fontes :
http://www.campusfrance.org/fr/page/sciences-sans-frontiere
http://www.campusfrance.org/sites/default/files/science_sans_frontieres.pdf
http://www.bresil.campusfrance.org/node/6592

Exigências linguísticas

Muitas instituições de ensino superior francesas exigem que os candidatos demonstrem que seu nível de francês é adequado, apresentando os resultados de um exame de qualificação oficial (por exemplo, DELF, DALF, TCF, TEF).

Cada instituição de ensino superior é livre para definir o nível de francês mínimo exigido. Em geral, os estabelecimentos exigem que os alunos tenham alcançado pelo menos o nível B2 (intermediário superior) do Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas. Mas o nível necessário pode variar, dependendo do programa e nível de estudo. Recomenda-se se informar diretamente com a instituição onde deseja estudar.

Fontes:
http://www.campusfrance.org/fr/page/les-bonnes-raisons...
http://www.bresil.campusfrance.org/node/6600

Autorização de residência

Antes de iniciar qualquer processo administrativo para morar na França, os estudantes devem ser selecionados para participar do programa Ciência sem Fronteiras e aceitos em uma universidade francesa.

Para os alunos de Licence 3, Master 1 et Master 2, o procedimento de aplicação para um visto de estudante para a França por mais de 90 dias tem duas fases :

1. Etapa pré- consular

A aplicação através do portal Campus France (seis etapas) :
- Inscrever Online no site de Campus France Brasil ;
- Completar o formulário de Campus France Online ;
- Inscrever nos cursos desejados ;
- Enviar os documentos necessários ao escritório de Campus France Brasil ;
- Pagar os custos administrativos ao Campus France ;
- Agendar a entrevista pré-consular com o Campus France.

Para mais informações sobre este passo, consulte http://www.bresil.campusfrance.org/node/6598

2. Procedimento consular

Após concluir o procedimento pré-consular Campus France, você deve coletar os documentos necessários para o seu pedido de visto e marcar um horário no Consulado da França.

O visto de longa duração para estudos – Autorização de residência (VLS-TS)

Os estudantes de pós-doutorado estão dispensados do procedimento Campus France. Eles devem pedir o visto de "cientista - pesquisador". Consulte os sites dos consulados franceses no Brasil para conhecer os procedimentos para a emissão deste tipo de visto.

O visto de longa duração "cientista - pesquisador" (VLS-TS)

Fontes :
http://www.bresil.campusfrance.org/node/6598
http://www.bresil.campusfrance.org/node/6673

Moradia

O custo da habitação é muito variável. Na França, são os organismos públicos, CROUS (centros regionais de trabalhos universitários e escolares) que gerenciam os dormitórios. Eles podem ser localizados no campus ou na cidade. As unidades são alocadas de acordo com critérios sociais rígidos. Muitas universidades também têm acordos com o CROUS para reservar quartos para estudantes estrangeiros que participam de programas de intercâmbio e cooperação.

Existem outras soluções alternativas além do CROUS: casas particulares, acomodação em casa de família, dividir um apartamento.

Fontes:
http://www.campusfrance.org/fr/page/les-residences-universitaires
http://www.bresil.campusfrance.org/node/6666

Na vida cotidiana, restaurantes universitários (restaurantes chamados U) são essenciais. As taxas cobradas são muito interessantes: por apenas 3,10 € (tarifa 2012-2013), você pode comer uma refeição completa composta por uma entrada, um prato principal e uma sobremesa. Todos os titulares de uma carterinha de estudante têm acesso a esses restaurantes. Alguns são abertos durante a noite e nos fins de semana.

Fontes:
http://www.campusfrance.org/fr/page/se-nourrir
http://www.cnous.fr/_vie_35.htm

Para mais informações

Consulte os sites http://www.csf.campusfrance.org/pt-br ou http://www.france.fr/pt/tags-pt/estudar-na-franca
Para perguntas gerais e sobre o programa: infocsf@campusfrance.org
Haut de page

População

66,3 milhões
 

Capital

Paris
 

Língua

Francês
Início da página